top of page
  • Foto do escritorClara B

Uma dança escondida numa escola

*reflexão do trabalho Corpo na Escola com o c.e.m centro em movimento



O que acontece quando se chega numa escola e percebe que há uma dança escondida lá dentro e se calhar ninguém está a ver?


Sempre observo que tem umas crianças na escola que se calhar, ouvem danças que ninguém está a ouvir, só elas. está mesmo ali no corpo de uma ou outra. ontem quando cheguei na escola, comentei com o gui que eu adorava passar o dia na escola enquanto uma pessoa que está na escola que não precisa cumprir uma tarefa. gostava de filmar o que acontece, sei lá, estar na escola só observando, estando… acontecem muitas muitas coisas dentro de uma escola, são infinitas… naquele dia estava atenta à uma pessoa que anda mais apressada e aborrecida, outra que passa com um chupa na boca a olhar os riscos da parede e aquela outra que só anda a saltitar. essa que anda aos saltos se calhar está a ouvir uma dança que só ela está a ouvir.


acontece que nesse mesmo dia, a sala que íamos entrar estava um bocado tensa a levar uma daquelas grandes reflexões sobre o comportamento. ficamos a esperar do lado de fora. sentei-me na escada e de repente comecei a ouvir uma dança:

um corpo lá de cima da enorme escadaria começa a derreter até chegar o fim dos degraus. apareceu isso e não dei muito ouvido ao que estava a ouvir… acontece que a dança continuou a soprar no ouvido e o grande sermão de dentro da sala nunca mais acabava. partilhei com o gui o desejo de derreter e por fim fui experimentar mesmo... para ver se era possível partilhar esse desejo com a turma… fui lá no cimo da escada e comecei a derreter por entre os degraus. ficamos ali a dançar-estudar-ouvir a dança e chegou a hora de entrar na sala.


sabe quando entramos num sítio está um belo climão tenso? aquelas coisas das atmosferas. e nossa eterna prática de ouvir, ir-com, transformar, bagunçar as atmosferas… Lá dentro da sala a dança que soprou ao pé do ouvido foi cair...no chão, cair em si, cair por dentro do próprio corpo…cair e recuperar. até que o tiago diz que quando caímos em nós próprios por dentro do corpo era como se os ossos desligassem.

desligar os ossos?

se calhar, lá estavam as ligações… o que é que liga um osso ao outro? ficou no ar a pergunta. um disse que era a vida, a outra disse que eram as amizades, o outro disse que eram as célular...


Fomos embora com o desejo de dançar o derreter das-nas escadas…. talvez na quarta feira quando lá voltarmos.


mas será que essa é uma dança que é só pra mim como a menina que anda a saltitar numa dança só dela? quando eu sei que uma dança é para partilhar ou para deixar ali só pra mim?


20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page